Latest News

9.7.4


13.
Melinda pensa por alguns segundos. Sabia que esse ataque viria, mas parece tão difícil responder! De repente, ela tem uma idéia.

- “Ninguém pode ser acusado de um crime quando não há vítima, senhor promotor.”

- “Como assim, não há vítima? A senhora nega que Paige tenha sido enfeitiçada?”

- “Não. No entanto, o feitiço ainda não provocou o mal maior. Ele ainda pode ser revertido, e tudo voltará ao normal.”

- “E por que a acusada ainda não o reverteu? É apenas uma questão de tempo para que Paige morra, e o que a senhora chama de “mal maior” se torne realidade!”

Nesse instante, o barulho da grande porta de madeira abrindo ecoa pelo salão. Todos olham para trás, e há um murmúrio de espanto ao ver quem se aproxima.

- “Mas dessa vez, o Mal não vencerá”.

Completamente recuperada e ainda mais bonita, de volta à sua verdadeira idade, quem aparece é Paige, disposta a ajudar a salvar a irmã.

14.

Paige se aproxima de Melinda.

- “Você é Melinda Warren... eu sempre quis te conhecer!”

- “Estou feliz em conhecer você também... Mais uma das minhas descendentes que se transformou numa bruxa poderosa!”

- “Se não se importar, gostaria de ajudá-la a defender Prue.”

- “E por que você faria isso?” interrompe o promotor. “Essa mulher tentou lhe matar!”

- “O fato é que, como todos podem ver, ela não conseguiu”, aproveita Melinda. “Portanto não pode ser julgada como uma assassina de bruxas. Prudence tem que pagar pelos seus erros, mas não com o banimento. Ela não representa mais uma ameaça!”

O promotor não se dá por vencido.

- “Não sei como Paige se recuperou, mas se Prue tivesse conseguido matá-la com o feitiço que fez, o Poder das Três seria destruído para sempre! Ela colocou em risco todo o legado das bruxas Warren, e a segurança do Mundo Mágico!”

- “Mas ela também salvou esse legado!”, diz Paige. “Se me derem licença, eu gostaria de falar. Quando Prue lançou o feitiço sobre mim, ela mesma tinha sido enfeitiçada pelo demônio Morloch e pela Senhora da Inveja. Se não fosse por isso, jamais teria feito o que fez!”

- “Como pode ter tanta certeza disso? Nos últimos tempos, sua irmã tomou atitudes dignas de um ser demoníaco!”

- “Pois ela salvou minha vida quando ainda era Rainha das Sacerdotisas!”

Paige olha no fundo dos olhos de cada ancião.

- “Há pouco tempo, uma de minhas protegidas foi raptada por Morloch. Ele a usou como isca para me atrair para uma armadilha. E, de fato, eu jamais escaparia sozinha da arapuca que Morloch armou!”

Paige se aproxima de Piper e Phoebe.

- “Ainda bem que minhas irmãs me avisaram a tempo. Assim, fomos resgatar Sarah juntas, e eliminamos grande parte dos demônios.”

- “E o que isso tem a ver com Prue?”, pergunta um ancião.

- “Na verdade, foi ela quem avisou a mim e à Phoebe sobre os planos de Morloch. Eu pude ouvir sua voz, e assim entrei em contato com minhas irmãs que tentavam me alertar sobre a armadilha”.

- “Eu mesma fiquei sabendo do plano graças a uma visão provocada por Prue!”, completa Phoebe.

- “Como podem ver”, continua Paige, “Mesmo quando estava vivendo entre demônios Prue mantinha viva a parte boa de seu espírito.”

- “A parte que é seu verdadeiro eu”, diz Melinda. “Acima dos feitiços, do tônico, do Vazio, de tudo que usaram para dominá-la, a boa Prue foi aquela que sobreviveu e que está aqui hoje, resignada, esperando por seu destino. E agora, Senhores? Que futuro acham que ela merece?”


15.

Há quase uma hora, as portas da sala de conferências estão fechadas. Piper, Phoebe, Paige e Melinda esperam ansiosas do lado de fora. Lá dentro os anciãos decidem o futuro de Prue.

Uma das portas se abre. É Yossi, que pede a elas que se aproximem.

- “Os anciãos vão dar o veredito agora.”

Todos se posicionam para ouvir.

- “Essa foi uma decisão difícil”, diz um dos anciãos. “O que aconteceu com Prue foi inesperado para todos nós. E são muitos os que acham que ela deveria ser banida para sempre, como um demônio.”

Nervosas, as irmãs trocam olhares de preocupação.

- “Ninguém pode negar que Prue tomou atitudes dignas de um demônio. Mas não podemos ignorar que isso foi provocado por interferências externas à vontade dela.”

O ancião se vira para Prue.

- “Prudence Halliwell, levante-se!”

Ela obedece. Finalmente, vai saber o seu destino.

- “Nós decidimos que você não merece ser banida!”

As irmãs soltam um suspiro de alívio.

- “No entanto”, continua o ancião, “o que você fez não pode ficar sem punição. E também não temos confiança para deixar que você se torne um fantasma, como suas ancestrais. Tendo em vista que suas atitudes colocaram em risco a todos nós, decidimos que deve ser isolada de qualquer contato com o Mundo Mágico.”

A declaração é um choque para todos. Uma expressão de medo toma conta do rosto de Melinda e das irmãs. Prue solta um longo suspiro, e baixa a cabeça. Ela sabe que sua punição não será leve.

- “Você, Prudence Halliwell, deve a partir de agora ficar para todo sempre no Limbo, afastada do mundo dos humanos e de seus familiares. Para que assim não volte a se tornar uma ameaça!”

- “Não!”, grita Piper. “Isso é cruel demais, é o mesmo erro que já cometeram antes!”

Prue olha para a irmã e sorri. Seu rosto está banhado de lágrimas. Ela se aproxima, e abraça as irmãs.

- “Piper, querida... Se esse é o meu destino, eu devo aceitar. E vocês precisam seguir em frente.”

- “Mas não é justo!”, diz Phoebe, chorando.

- “Phoebe, eu devia ter escutado os seus apelos naquela noite em que as Sacerdotisas me trouxeram de volta. Mas eu estava tão insensível ao que vocês falavam! De alguma forma, apenas os piores sentimentos prevaleciam dentro de mim: a mágoa, o orgulho... Agora, devo pagar por isso."

Prue se vira para Melinda:

- “Obrigada por tudo o que você fez!”

- “Já fui julgada uma vez, e sei o que você está enfrentando. Pode contar comigo sempre que precisar!”

Finalmente, Prue vai até Paige.

- “Eu não sei o que dizer... nem te conheço, e te fiz tanto mal! Quero pedir desculpas, mas sei que isso não é o suficiente...”

- “Isso já passou. E quem sabe, no futuro, a gente não possa se conhecer melhor?”

- “Será que eu posso te dar um abraço?”

Paige sorri e abraça Prue.

- “Eu sempre quis conhecer a minha irmã mais velha!”

O ancião faz um sinal. É hora de partir.

-"Pelo menos eu não serei banida. E sempre há esperanças..."

Levada para além da grande porta da sala de conferências, Prue dá um último aceno antes de desaparecer por completo.


16.

No sótão da Mansão, as irmãs se despendem de Melinda Warren.

- “Tenho que ir agora. A mãe e a avó de vocês devem estar ansiosas para receber notícias de Prue.”


- “Obrigada por ter nos ajudado”, diz Paige.

Melinda sorri e se aproxima da tataratataratataraneta.

- “Mas eu não teria conseguido sem você. Penélope e Patty vão ficar orgulhosas quando eu falar sobre a sua generosidade em defender Prue, mesmo depois de tudo o que ela fez. O seu coração é grande, Paige, e cheio dos mais nobres sentimentos!”

- “Me sinto feliz por ter ajudado!”

As irmãs abraçam Melinda mais uma vez. Depois, dizem juntas as palavras para mandá-la de volta à sua dimensão:

- “Melinda Warren, ancestral de nossas ancestrais, nós te liberamos!”

Com um sorriso nos lábios, a figura da ancestral desaparece no ar.

- “Paige, você não nos contou até agora... como voltou ao normal sem que Prue tivesse desfeito o feitiço?”, pergunta Piper.

- “Bem, agradeça à sua babá!”

- “Mina? O que ela fez?”

- “Os leprechauns sabem que sua a guardiã do Ahnk. Apesar de eu não ter habilidade para usá-lo, ele é um instrumento de vida eterna.”

- “Você está falando daquele Ahnk que nos levou para o Egito Antigo?”

- “Esse mesmo. Mina o trouxe até mim e, como daquela vez, parece que ele pode ativar a si próprio para fazer exatamente o que é preciso, sem depender de ordens minhas. Voltei ao normal assim que ela e Henry o colocaram nas minhas mãos.”

- “Maninha, você precisa aprender mais sobre como usar esse tal Ahnk!”, brinca Phoebe.

- “E você precisa se desculpar com a sua babá” diz Paige para Piper.

Todas caem na risada.

- “Bem, tenho que ir... espero chegar a tempo para jantar com o Coop!”

- “Hummm... isso está ficando sério, ein?”

- “Esperamos que sim!”

- “Eu também vou. Estou merecendo um jantar romântico com Henry!”

As três se despedem na porta da mansão, deixando Piper pensativa. Ela sobe as escadas e vai até o quarto dos meninos, que está vazio. Uma tristeza profunda enche seu coração.

- “Piper?”

É a voz de Leo, que está atrás dela.

- “Sinto tanto a falta deles, Leo!”

- “Então, não sinta mais!”

Piper se vira e só então vê que o marido traz Chris em seus braços. Wyatt, que estava ao lado do pai, corre para abraçá-la.

- “Meus queridos, quantas saudades! Leo, será que eles vão poder ficar aqui no fim de semana?”

- “Muito mais do que isso. Agora que Prue está no Limbo, os anciãos deixaram Wyatt e Chris voltarem definitivamente para casa. Só pediram que os dois continuassem freqüentando a Escola Mágica.”

- “Claro que sim! Claro que sim! Oh, é a melhor notícia que eu poderia receber!”

A família inteira se une num grande abraço. É o final feliz para uma longa separação.

FIM DO SÉTIMO EPISÓDIO

4 comentários:

Anônimo disse...

Excelente história, você está se superando a cada capítulo.
Estou ansioso pela conclusão deste capítulo e pelos demais.
Parabéns Lory!!!!!!!!

Anônimo disse...

Parabens!
Cada vez mais as estorias ficam a "la charmed" mesmo...li todos os capitulos num dia, fiquei muito curiosa e aguardo os proximos!
sou muito fa tb e pra variar nao queria que tivesse terminado, mas mato a saudade agora!

Lory disse...

Espero que vcs gostem também da décima temporada que vem por aí!

Bjs!

Jhonnie disse...

pow não esta entrando a 9.8

estou querendo ler na nona temporada gostei d tds as historias vc esta de parabens

Charmed Fan Fiction Designed by Templateism.com Copyright © 2014

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.